Search

MUDRAS

gyan mudra

MUDRAS

 

Guhyambrahmatadidambraveemi
Nahimaanushaashreshthataramhikinchit

 

“Nenhum poder visível ou invisível pode se comparar

com o enorme poder inerente possuído pelo homem”

 

De acordo com diferentes filosofias e práticas de Yoga, “Mudras” são gestos sistemáticos feitos com a mão. Literalmente, Mudra em sânscrito significa uma postura/ selo. Mais profundamente, “circuitos elétricos fechados” dos canais sutis no corpo físico e etérico, também são conhecidos como “Mudras”.

Alguns escritores ocidentais têm definido “Mudra”, como gestos místicos usados para concentrar a energia sutil, transmitir ensinamentos por meio de símbolos e conferir proteção psíquica. Chögyam Trungpa diz que Mudra é “um símbolo no sentido mais amplo do gesto ou ação (…) um símbolo expressado com as mãos para afirmar para si mesmo e aos outros a qualidade de diferentes momentos de meditação.”

Deixando de lado as definições complexas oferecidas por várias pessoas e seitas, vamos resumir que Mudras são um modo não-verbal de comunicação e auto-expressão que consiste em gestos e posturas de dedo. Eles mantêm a eficácia da palavra falada. É uma expressão externa de resolução interna, sugerindo que tais comunicações não verbais são mais poderosas do que a palavra falada. Simbolicamente expressam sentimentos e estados psicológicos internos. Elas também geram várias qualidades como coragem, poder, caridade e da paz no praticante e para os espectadores.

O Gherand Sanhita e o Vajrayana Tantra aconselham que os Mudras são capazes de conferir grandes poderes e habilidades psíquicas chamadas “Siddhis” em seus praticantes, portanto, o seu conhecimento não deve ser transmitido para aqueles mergulhados no pecado, para aqueles que não são fiéis à sua palavra, para os céticos e não crentes, a hereges e pessoas insinceras e aqueles que não observam os preceitos. Mudras, portanto, sempre foi considerado uma ciência esotérica.

Além dos mudras proporcionarem ganhos espirituais, há também os que são igualmente de grande valor na terapia. Pesquisas constantes trouxeram um grande número de desses benefícios, embora nós ainda estejamos apenas arranhando a superfície deste mar de conhecimento.

 

A ORIGEM DOS MUDRAS

 

  • Ninguém sabe ao certo onde e como os Mudras originaram. Eles têm sido utilizados há milênios.
  • Foram encontrados em todos os continentes, praticados por pessoas de todas as religiões.
  • São tão naturais para o corpo como as necessidades diárias do corpo.
  • Era necessário reconhecê-los, identificá-los, entender cientificamente e usá-los.
  • No Oriente, podem ser observados nos rituais e ritos das ricas tradições culturais do hinduísmo e do budismo na Índia, Tibete, China, Japão etc.
  • As pinturas nas cavernas de Ajanta e esculturas nas cavernas de Ellora mostram inúmeros mudras.
  • As primeiras documentações são encontradas em Mantra Shastra (o livro de encantamentos), Upasana Shastra (o livro de adoração e orações) e no NrityaShastra (o livro de danças clássicas).
  • O seguinte verso da BhagavadGita “Prapannapaarijaataayatotravetrepaanaye,
    gyaanmudraayaKrishnaayageetaamritaaDuhenamah”
    menciona que o Senhor Krishna estava na postura de GyanMudra, quando ele concedeu o conhecimento do Gita a Arjuna
  • No Jainismo, SwamiMahavirJain e no Sikhismo, Guru NanakDevji, são sempre mostrados em Gyan ou DhyanMudra.
  • Na arte cristã, Jesus, João Batista e Virgem Maria são mostrados em várias Mudras. Ainda hoje, o sinal utilizado pelos sacerdotes de Igrejas Católicas, enquanto abençoam os devotos, é o “Mahagyan Mudra”.
  • Hieróglifos egípcios são um tesouro virtual mudras. As posturas dos seus reis e rainhas, mesmo como múmias, os mostram segurando mudras.
  • No Islã, os místicos Derviches usam sinais de mão ou Mudras para vários ritos e rituais.
  • A arte romana também está repleta de Mudras.
  • O homem só tem o poder supremo em sua alma, que, quando cientificamente dotado de Yoga, pode ajudá-lo a atingir todos os três poderes sublimes – o físico, mental e espiritual. Tudo o que é necessário é a orientação e as regras de Dhyana (meditação) e prática (sadhana)

 

MUDRAS E TERAPIAS

 

  • A Organização Mundial de Saúde define a saúde como “Um estado de completo desenvolvimento físico, mental e bem-estar social, não meramente a ausência de doença ou enfermidade”.
  • Como qualquer Yoga, Mudras devem ser praticados com sinceridade e depois de adquirirmos conhecimento completo sobre eles. Com poucas exceções, a prática destes, com conhecimento parcial pode, no mínimo, resultar em nenhum ganho e se praticados de forma errada também produzem efeitos indesejáveis.
  • Mudras devem ser aprendidos a partir de um Guru. Depois de entender os princípios básicos, os praticantes geralmente podem fazer a maioria das Mudras por si mesmos.
  • Mudras não são pílulas instantâneas, que dão alívio temporário, mas sim a longo prazo. Enquanto alguns Mudras dão alívio imediato, devemos praticar com sinceridade e convicção para obter ganhos a longo prazo.